30 dias sem plástico

30 dias_04

Só na primeira década do séc. XXI foi produzido mais plástico do que nos últimos 100 anos. Parece bastante improvável, mas a verdade é que estes números são reais. E a situação não tende a melhorar: prevê-se que até 2050 haja mais plástico no mar do que peixes e 99% das aves marinhas terão pedaços deste material no seu aparelho digestivo.

Quando começamos a pensar a sério no assunto somos capazes de ficar um pouco aterrados com a magnitude do problema. A partir do momento que despertamos para este problema, mais nos apercebemos que o plástico está, literalmente, em todo o lado. É desesperante encontrá-lo nos sítios mais inesperados e parvos (mas o que é isso da moda de descascar e embalar fruta já cortada aos pedaços?). Às vezes, parece mesmo que estamos a dar um passo para a frente e dois para trás.

O plástico está em todo o lado. Invadiu os nossos oceanos, lagos, solos e até já entrou na nossa cadeia alimentar. Que mais é preciso para começarmos a banir o plástico das nossas vidas? Vamos começar devagarinho. Mas vamos começar já! 

E esta batalha, embora nos possa fazer sentir como uma gota pequenina num imenso oceano de plástico, não é, nem precisa de ser, solitária.

Há cada vez mais pessoas preocupadas com estas questões e todos os dias o movimento contra o plástico (descartável) ganha novos adeptos. Apesar dos tropeções, vamos avançando. Devagar, mas firmes. A união faz a força, sabemos há muito, e tem sido extraordinário ver surgir em Portugal nos últimos anos iniciativas como o Lixo Zero Portugal , a Maria Granel, o Slower, a Garagem e tantas outras, com quem temos aprendido e ganho confiança. A mudança está aqui, a acontecer, a cada dia que passa.

As coisas mudam quando as pessoas se unem, se manifestam e fazem barulho, às vezes, silencioso. E é isso que venho propor hoje. Fazer barulho silencioso. Muito.

30 dias_02

30 DIAS SEM PLÁSTICO

A iniciativa Plastic Free July já não é uma novidade: todos os anos, durante o mês de julho, existem campanhas a nível global contra o uso de plástico descartável, com uma grande aderência da população que, durante um mês, tenta viver de forma mais consciente. Existem sempre hábitos que ficam, mas a proposta para este ano é irmos um pouco mais além.

O desafio é simples: durante o mês de Julho vamos ficar mais conscientes do nosso lixo. Vamos recolher, contar e partilhar aquilo que descartamos, semana a semana, com o hashtag #30diassemplastico nas nossas redes sociais. Porquê? Porque muitas vezes aquilo que não vemos é como se não existisse.

Mas não se sintam atrapalhados ou constrangidos: não estamos a falar de metas de 1 frasquinho de lixo que cabe na palma da mão. Não vai ser fácil e é provável que falhemos. Mas vamos falhar juntos, fazer o tal barulho e refletir. No final da semana, registamos, separamos, contamos e pesamos até, o que descartamos, se quisermos. Apercebemo-nos das mudanças que têm ocorrido nos nossos hábitos. Celebramos as conquistas, ponderamos as dificuldades, inventamos alternativas e juntos, abrimos caminho.

Por isso, longo do mês de Julho, e a convite do Slower, o Âncora Verde juntou-se ao Lixo Zero Portugal, à Maria Granel e à Garagem para mostrar como estamos a abordar este desafio e para vos inspirar a fazer o mesmo. Quantos mais formos melhor, por isso juntem-se a nós e partilhem os vossos #30diassemplastico. Envolvam a família, os miúdos. Passem a palavra aos vossos amigos, vizinhos, colegas. Quem está connosco?

INSPIRAÇÃO E RECURSOS PARA COMEÇAR

A Plastic Ocean (a minha opinião aqui)
A pensar no Amanhã
12 passos para começar
3 picnics sem plástico
Compras sem plástico
Movimento Lixo Zero 
E-book Dicas sem Desperdício
Zero desperdício porquê?

 

Crédito das imagens: Slower

logo - âncora verde

Deixar uma resposta