Q&A sobre livro «Defender o Futuro»

Para quem tiver curiosidade em saber um pouco mais sobre o meu livro «Defender o Futuro – Manual para o Cidadão Consciente», deixo abaixo mini-entrevista de Q&A (perguntas e respostas) realizada para o blog da Wook, WookAcontece, que não chegou a ser publicada.

Leila Teixeira – Âncora Verde

Defender o Futuro – Manual para o Cidadão Consciente assume-se como um guia rumo a uma vida mais simples e mais consciente. Qual é o primeiro passo que podemos dar nesta direção?

O primeiro passo será sempre começar a fazer questões e a ficar mais despertos para as questões sociais e ambientais do nosso planeta. Quando questionamos, temos tendência a procurar a informação, a querer saber mais. E, na jornada de querer saber mais sobre estes problemas, vamos encontrar muitas soluções e perceber que existem outras formas de viver, de ser e de estar e que, se calhar, até fazem sentido.

O livro defende que os cidadãos têm o poder de mudar o mundo. De que forma o podem fazer?

Cada um de nós, enquanto cidadão, tem um papel fundamental na forma como o mercado opera, pelo simples facto de que são as nossas opções, enquanto indivíduos, que ditam quem fica no jogo ou quem leva cartão vermelho. O nosso dinheiro funciona como um «voto», como um incentivo. Então, de cada vez que compramos alguma coisa (seja um produto ou um serviço), estamos a votar e a dizer que concordamos com os ingredientes, modos de produção, políticas sociais, ambientais ou humanas que estejam por trás. A forma como gastamos o nosso dinheiro pode mesmo mudar o mundo e, ao escolher uma marca em detrimento de outra, está a dar um claro sinal ao mercado sobre o tipo de mudança que quer.

A segunda parte do livro é totalmente dedicada às principais «Mentiras Verdes» que nos habituamos a ouvir e a aceitar. Porque é que é importante falarmos sobre isto?

Apenas um cidadão consciente e informado pode mudar o mundo. Assim, importa que fique a saber quais são os principais embustes que encontramos na nossa sociedade de consumo, como é que as empresas e as marcas nos manipulam, como é que nos fazem continuar a comprar produtos de forma recorrente através da criação de «prazos de validade» para bens tecnológicos, porque é que a reciclagem nem sempre é melhor solução ou porque é que é impossível que uma camisola feita na Ásia chegue à Europa a custar cinco euros. É preciso primeiro saber e questionar, para depois se mudarem atitudes e comportamentos.

A temática do lixo zero é apenas abordada no capítulo «Sem desperdício». Que outras dimensões podemos ver abordadas no livro?

Viver sem produzir desperdício é apenas uma das muitas dimensões que temos de abordar para vivermos de forma mais consciente. Assim, no livro fala-se também de temas como consumo consciente, minimalismo, alimentação, turismo, economia circular, entre outros.

«30 Dias Mais Conscientes» é um desafio para ser levado à letra?

O desafio serve como uma orientação para um mês de atividades cujo objetivo é ajudarem-nos a viver de forma mais simples e consciente. Desde dar um passeio de bicicleta, a passar um mês sem comprar nada, de fazer um piquenique sem desperdício ou organizar um evento de trocas com amigos e família, o mais importante é que seja adaptado à realidade de cada um, sem imposições ou julgamentos. Para fazer ao próprio ritmo, de forma individual ou em família: o que importa mesmo é começar. Vamos a isto?

Podem saber mais sobre o livro, que foi recentemente adicionado ao Plano Nacional de Leitura PNL2027, aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *