Colin Beavan: o Homem sem Impacto

no impact man

O livro do Colin Beavan, Impacto Zero, foi um dos primeiros que li sobre como viver uma vida com menos desperdício e com mais significado. Lembro-me de que a minha opinião ao ler as primeiras páginas foi um tanto ou quanto de estupefação, pelo meio já estava completamente alinhada com as motivações e os ideais do Colin mas, quando terminou, pensei que a experiência foi um tanto ou quanto exagerada tendo em conta o contexto em que vivemos. Passo a explicar.

O livro retrata a experiência do Colin e da família (esposa e filha bebé) que decidiram viver sem causar impacto ao ambiente durante um ano (entre 2006 e 2007), em plena cidade de Nova Iorque. Por outras palavras, Colin tentou viver sem produzir lixo, sem poluir a água com toxinas, e sem usar coisas como elevadores, metro, ar condicionado, televisão, produtos embalados, detergentes e papel higiénico.

Este relato é uma ótima forma de nos inspirarmos a mudar pequenos hábitos do nosso dia-a-dia, que podem fazer toda a diferença no nosso impacto sobre o planeta.

Não precisamos, contudo, de chegar a tantos extremos. Entre as medidas que adotaram, compraram uma espécie de bicicleta (?) (aquilo que se vê na imagem) para andar distâncias mais longas porque se recusavam a andar de transportes movidos a combustível fóssil (mesmo os de transporte coletivo), e chegaram mesmo a cancelar o contrato da luz, deixando completamente de estar ligados à rede elétrica. Isto fez com que nesta demanda por uma vida sem impacto, estragassem muita comida nos dias mais quentes de Manhattan.

Entre os bons hábitos, que perduraram após o término da experiência, passaram a comprar apenas comida produzida por agricultores que estivessem no máximo a 400km de distância, reduziram drasticamente o número de vezes que iam buscar comida fora, plantaram árvores e deixaram de comprar água engarrafada.

Como tudo aquilo que advogo com aqui no âncora verde, uma das coisas fundamentais que devemos ter na nossa vida é o equilíbrio. Equilíbrio e talvez um pouco de bom senso. Não podemos todos fazer tudo e esperar que a sociedade mude de um dia para o outro o seu modo de estar ou de pensar.

Se cada um adotar duas ou três medidas para uma vida sem desperdício, podem ter a certeza que o mundo começa a mudar aos poucos.

Se a nível global as mudanças são lentas, a nível local podemos (e devemos!) ir fazendo a diferença.

A jornada do Colin foi registada no blog No Impact Man, deu origem a um livro e mais tarde a um documentário.

 

logo - âncora verde

Deixar uma resposta